O que irá acontecer quando todas as bitcoins tiverem sido mineradas?
Página principal Tutoriais, Mineração

A dado momento no futuro será minerada a última Bitcoin — o que irá acontecer depois?

Existem apenas 21 milhões de bitcoins disponíveis para mineração. Assim que todas essas bitcoins tiverem sido mineradas, não haverá novas bitcoins a serem criadas. Tal contrasta com as moedas nacionais, que estão em constante expansão — nomeadamente porque os governos gostam de encorajar a inflação e aumentam a oferta de moeda para a desvalorizarem. Trata-se, na prática, de uma iniciativa que pode reduzir a riqueza das famílias.

Com a Bitcoin, porém, não há desvalorização paralela. Estima-se que as bitcoins se venham a tornar cada vez mais valiosas ao longo do tempo com o número de bitcoins a entrar no sistema a diminuir. Não só está o fornecimento total de bitcoins limitado a 21 milhões como o fluxo de novas bitcoins no mercado está também a diminuir. A cada quatro anos, aproximadamente, o número de bitcoins concedidas pela mineração de um bloco é reduzido para metade.

Originalmente recebia-se 50 bitcoins pela mineração de um bloco. Depois esse valor caiu para 25 bitcoins e mais tarde para 12,5 bitcoins. Em 2020 irá cair para 6,25 bitcoins. Assim, enquanto um governo tende a aumentar a sua oferta de moeda, a Bitcoin tem recursos internos que encorajam o oposto, não cedendo a pressão inflacionária. Mais, há muitas “bitcoins perdidas” que foram armazenadas em discos rígidos antigos e não podem ser recuperadas. Tal torna a existência total de bitcoins inferior a 21 milhões.

Em que consiste a mineração de bitcoins?

Se já estiver familiarizado com todo o processo de mineração de bitcoins e com o funcionamento da blockchain pode seguir para o parágrafo seguinte. Se não, vamos atualizá-lo rapidamente. A mineração de bitcoins refere-se ao processo de hashing — a utilização de computadores para resolver algoritmos complexos. Quando um algoritmo é resolvido, é criado um novo bloco de transações que é posteriormente adicionado à blockchain. A blockchain é um registo público de todas as transações conduzidas com bitcoins.

Sempre que são realizadas transações com bitcoins as mesmas são acrescentadas à blockchain. O processo de hashing é assim vital para decidir que transação tem precedência. Se os mineiros parassem de minerar todo o sistema entraria em colapso. Assim, o que irá acontecer quando se alcançar o total de 21 milhões de bitcoins? Irá o sistema “desligar-se" porque já não serão atribuídas bitcoins pela mineração de novos blocos? Na verdade os mineiros de bitcoins também recebem comissões pelas transações — e são essas comissões que vão manter o sistema.

Então e quando todas as bitcoins tiverem sido mineradas?

A dado momento no futuro, provavelmente ao redor do ano de 2140, será minerada a última Bitcoin. Assim que os 21 milhões de bitcoins tiverem sido criados não serão criadas mais bitcoins. Isso não significa que o mundo das bitcoins venha a desabar. Além das recompensas pelo processo de hashing, a Bitcoin também fornece comissões (taxas) por transação. Atualmente, essas comissões representam uma pequena quantia — apenas uma fração de um centavo de dólar. No entanto, é provável que as comissões aumentem à medida que o valor da Bitcoin aumenta.

Estima-se que essas taxas de transação venham a tornar-se suficientemente valiosas — o que levará a que os mineiros se sintam encorajados a continuar a minerar. Assim, apesar de deixarem de existir novas bitcoins, os mineiros de bitcoins irão continuar a ser recompensados. É claro que alguns mineiros serão (e já estão a ser) afastados do mercado. Com a Bitcoin a tornar-se mais difícil de minerar, os mineiros têm de utilizar equipamento especializado para minerar as bitcoins de forma mais eficiente. A eficiência energética é uma grande questão. A conta de eletricidade associada a equipamento antigo poderá tornar-se incomportável ao ponto de se perder dinheiro com a mineração. Com máquinas mais recentes e eficientes tal não acontece.

O valor da Bitcoin deve (e irá) continuar a aumentar

Para que as taxas de transação de bitcoins se tornem lucrativas o suficiente para encorajar a mineração, o valor da Bitcoin terá de aumentar substancialmente. Há alguns traços de raiz que o garantem.

Como referido anteriormente, cada moeda tem fornecimento essencialmente ilimitado e os governos gostam de aumentar a oferta de moeda. O problema com o aumento da oferta de moeda, contudo, é que o valor da unidade de moeda individual, como o euro, diminui. Imagine que a oferta de moeda é uma pizza gigante. Quando aumenta a oferta não está a aumentar a dimensão da pizza. Está a cortá-la em fatias mais pequenas. À medida que um governo aumenta a oferta de moeda (ou corta a pizza) o seu valor (a dimensão das fatias) diminui.

O aumento da oferta de moeda tende a estimular o investimento pois as empresas e os indivíduos veem-se encorajados a gastar dinheiro antes que este perca muito valor. Por outras palavras, os governos fazem-no de forma intencional para alcançar esse fim. Com a Bitcoin, a oferta de moeda irá aumentar até 2140 — sem o efeito depreciativo que tem o aumento da oferta de moeda nacional por parte dos governos.

Na verdade, em julho de 2016, a oferta de bitcoins atribuída por hashing foi reduzida para metade, caindo de 25 para 12,5. No período que antecedeu essa medida o preço da Bitcoin aumentou substancialmente, de menos de 450 dólares para mais de 750 dólares. O aumento de preço resultou da redução da recompensa para metade. Quando a oferta de novas bitcoins for novamente reduzida para metade, provavelmente em julho de 2020, estima-se que o preço da Bitcoin aumente novamente. O mesmo deverá verificar-se quatro anos depois.

E o que se prevê para o futuro (distante)?

À medida que o preço da Bitcoin aumenta, o valor das taxas por transação aumenta também. Para que o aumento seja suficiente para encorajar a mineração por si só, o valor da Bitcoin terá de aumentar substancialmente. A ideia de bitcoins a valerem 50.000 ou 100.000 dólares um dia não está fora de hipótese. Tal como qualquer outra moeda, as bitcoins podem ser divididas em unidades mais pequenas.

A atual unidade mais pequena é o satoshi. Cerca de 10.232 satoshis correspondem, atualmente, a um dólar. No futuro os satoshis poderão valorizar e tornar-se a unidade de transação comum, enquanto as bitcoins serão usadas apenas para quantias maiores. Uma atual taxa de mineração de, digamos 10.000 satoshis, poderá não parecer muito agora mas no futuro poderá ser bastante.

Fonte: 99Bitcoins

Leia também:
Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça um "gosto" a esta página para que possamos continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente